Pará traça metas para reduzir o desmatamento tropical no planeta

No relatório são previstos ações ligadas à mitigação de mudanças do clima, em especial no setor florestal, com cooperação técnica e capacitação

Foto: Nelson Feitosa/Ibama

BELÉM – Planejamento e estratégias para a Força-Tarefa de Governadores para o Clima e Florestas (GCF) em 2016 foram os principais assuntos tratados durante reunião em Brasília, nos dias 28 e 29 de setembro de 2015. O Pará é um dos membros fundadores do GFC, e iniciou a participação junto a outras nove províncias com a assinatura do Memorando de Entendimento com os Governos dos Estados da Califórnia, Illinois e Wisconsin (EUA). No relatório são previstos bases para cooperação em ações ligadas à mitigação de mudanças do clima, em especial no setor florestal, com foco em cooperação técnica e capacitação.

Durante a reunião foram discutidas questões envolvendo as capacitações, aporte de recursos, melhor estratégia para utilização dos recursos disponíveis pelo grupo; a implementação e fortalecimento de sistemas e programas jurisdicionais de REDD; e Serviços Ambientais na Amazônia. O grupo também tratou dos rumos a serem seguidos na COP21, qual o posicionamento dos estados da Amazônia Brasileira durante o evento, assunto que será finalizado na reunião denominada Pre-COP21, que ocorrerá em novembro.

Além disso, foi definida a participação dos estados membros do GCF – Pará, Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Roraima e Tocantins – na conferência Pan-Amazônica de Adaptação às Mudanças Climáticas. Na ocasião, Larissa Chermont reafirmou o interesse do Estado em sediar a próxima reunião do Fórum dos Governadores da Amazônia Legal e a Reunião do Fórum de Secretários de Meio Ambiente da Amazônia Legal, que deve acontecer ainda este ano.

O GCF é uma colaboração entre 29 estados e províncias do Brasil, Indonésia, México, Nigéria, Peru, Espanha e Estados Unidos, que estão trabalhando para reduzir o desmatamento tropical no planeta através do desenvolvimento de programas jurisdicionais de alta qualidade para estabelecer práticas de baixas emissões, que sejam economicamente sustentáveis e visem a melhoria do modo de vida das comunidades florestais.

A Força Tarefa engloba mais de 25% das florestas tropicais do mundo, incluindo mais de 75% das florestas do Brasil e do Peru e mais da metade das florestas da Indonésia. Os membros do GCF têm liderado o desenho e a implementação de abordagens jurisdicionais para o desenvolvimento de baixas emissões, com foco no nível subnacional de governança, onde a maioria destes esforços está acontecendo.

Fonte:

Portal Amazônia, com informações da Agência Pará
jornalismo@portalamazonia.com
uniao meio ambiente